Não sou o que sou

Quando alguém vem me dizer que mudei, não sei o que fazer. E quando ela diz que mudei pra pior... bem, quando isso acontece, me contento a somente olhar pra pessoa. Não sei se devo rir, ou me acabar de chorar (o que nunca faço). Não sei se aceito as palavras ou se descarto elas como faço com as frases que considero desnecessárias. Mas existe um momento, entre todo esse 'deletamento' de informação, que seu cérebro registra de modo que você não pode mais esquecer aquilo. E esse momento chegou agora.

Depois de alguém dizer que mudei pra pior, alguém chega e diz que me ama. Pior: me ama do jeito que sou. Novamente não sei o que fazer. Eu poderia começar mostrando a essa pessoa que o que sou não é pra ser amado, e sim ignorado. Mas não consigo dizer nada. Sorrio inutilmente, aceitando as palavras. Palavras que parecem machucar mais do que as 'eu te odeio'. Li uma vez que pior do que um menino que te odeia, é um menino que te ama - Livro A menina que roubava livros. Considero isso como, em todos os termos, uma triste verdade. Isso se ele ama de verdade mesmo. Não tem como saber isso, porque é um caso de confiança; você tem que aceitar aquelas palavras como verdadeiras. Não adianta pedir provas, porque estas são facilmente falsificadas ou compradas no paraguai (tudo no Brasil é assim).

E em meio ao oceano de todas as falsidades, mentiras, rostos, palavras... vejo que não sou o que sou. Nunca fui o que deveria ser. Digo algo: cansei de ser mim mesma. Se bem que nunca fui nada. Nada que alguém tenha o orgulho de lembrar. Nada que valha a pena contar.

'Vejo que não sou o que sou'

Nenhum comentário:

Postar um comentário