Quem nunca deu uma 'arrumadinha' no seu quarto e achou um pacote de biscoito jogado ali a mais de 1 anos, atire a primeira pedra.
Prefiro não comentar, mas o biscoito ainda estava bem gostoso, obrigado, (hehe').
Sinceramente, olho as primeiras linhas que escrevi e percebo algo. Mais que algo, percebo a verdade. Que porcaria de post é esse?! - berrei no meu inconsciente. Nessas exatas horas, agradeço por minha mente maléfica não está produzindo uma resposta super cara de pau pra me responder. É, sei, isso é mesmo assustador. Sempre que me pergunto algo, meu cérebro de periquito me responde sem que eu mande. ¬¬' Não vamos aos detalhes.
Eu estava pensando no que escrever aqui. Não que eu esteja indecisa, isso não; mas me veio varias idéias de vez, sabe. Tipo, arrumar seu quarto é algo tão inspirador, não acha? Principalmente quando você gosta de guardar papel, como eu. Achei um caderninho onde eu escrevia poemas a mais de anos. Na época em que sua vó ainda era gostosa, e a minha era miss-mundi. E decidi que mostraria um poeminha meu aqui.
Primeiramente devo avisar que não sou nenhuma Machado de Assis, ou qualquer desses poetas. Agradeço por isso, porque, fala sério, olhando alguns poemas deles você acaba pensando que o cara não passa de um tarado. E tem um outro, ainda, que faz qualquer emo parecer uma pessoa quase normal; de tão... melancolico... sentimentalista... que o cara é.

E mary estreia em: Mundinho particular (tchããããrãããã!!!!!)

Na mente de uma pobre criatura
Protegida pela luz da lua
Vive um mundo de fantasia
Em que tudo é alegria

Contagia, anima
Enfim tudo cria vida
Árvores parecem sorrir,
As estrelas estão a dormir
Flores brincam sem parar
Duendes dançam sem cessar

É tudo uma grande festa
E não dá pra acreditar
Animais e seres sem roupa estão a conversar

Percebi que esse mundo é o mesmo mundo de lá
Só que aqui eles não se importam em apenas dançar
E acreditam que a fantasia poderá tudo ganhar

Desejei ficar ali para sempre, vendo-os dançar
E ouvindo a doce melodia que o duende estava a tocar
Mas o sonho se dissipou como uma nuvem noar
E meu sonho se tranformou na mesma noite de luar,
que vi antes de cochilar

A realidade vazia voltou a me importunar
E cadê a doce melodia? Não sei mais onde está
Vejo na avenida os carros passar
E as buzinas tocar sem parar

Porque não posso pra sempre sonhar?
Não sei e ninguém quer me explicar
mas pelo menos poderei voltar sempre àquele lugar
E dizer que ele é meu mundinho particular


Sem comentarios. Ah, e sim, eu era uma louca sem juízo, sim. Duendes...? Fala sério, faz bem a minha cara. Eu ja tinha carinha de duende, so faltava a cor verde e as orelhas pontudas ¬¬
Tá, pode criticar, mas fala a verdade, não ta mais criativo do que as músicas cansativas de Justin Bieber?? Oh, carinha enjoado esse,viu. Nada contra ele, mas também não podem me obrigar a gostar das músiquinhas dele, ne.

Vou dar no pé, e não me esperem :B

Nenhum comentário:

Postar um comentário