Nerd e encalhada - cap.3

A não ser meu irmão me chateando o juizo, e minha cegueira total, acho que esse meu novo visual está me dando muitos privilegios. Claro, ficar sem enxergar o quadro é assustador; e juro que pensei que confundi o professor de artes com o faxineiro do corredor. Foi o maior mico. Eu simplesmente cheguei até o faxinildo e perguntei, com minha cara de santa revigorada:
- Qual será sua aula de hoje mesmo, prof?
- Você por um acaso é a nova estagiaria de faxina?
Achei bem estranho, mas ainda não tinha me tocado que a pessoa usando um terrivel verde berrante à minha frente era o mesmo homem que limpava o banheiro feminino...
Então, ri alto, o que deve ter chamado a atenção das dezenas de alunos que passavam pelo corredor; sem contar que o fato de eu ter parado minha vida pra bater um papo com um faxineiro já era em si uma coisa pra chamar atenção. Agora complete a cena dessa maneira: eu conversando com um faxineiro usando um verde que até os alienigenas em outro planeta poderiam ver, num corredo apertado e entupido de alunos fofoqueiros, e, além disso, usando um super rosa chock, que faria as patricinhas de Beverly Hills me invejarem. Ou seja, eu era como um semaforo ambulante no meio da escola... Isso é frustrante.
Em poucos segundos, senti uma mão sendo posta em meus ombros. Quando olho para trás e aperto os olhos pra enxergar melhor, vejo meu querido professor de artes! Quase tenho um treco, enquanto olhava de um a outro dos meus 'professores de artes'. Pensei, será que estou diante de um clone? Mas eu sabia que não. Era obvio que minha cegueira me enganara novamente.
Mas ao menos agora sei ue quando eu ver alguém de verde do tipo Greenpeace, é porque ela não é meu professor de artes, e provavelmente não seja nem formado em alguma coisa. Se bem que do jeito que o mundo vai indo, será necessarios os faxineiros tomarem curso avançado de como segurar uma vassoura.

Olho no mural os avisos da semana, e descubro, com um grande pesar, que daqui a uma semana haverá o baile da escola. Eu simplesmente odeio esses bailes! Não servem pra nada, afinal. EU gostaria de não ter que participar dele, mas as pessoas que encontro de frente ao mural irão me obrigar a ir. As VVBests nem deixaram eu ollhar o mural direito e já foram pra cima de mim, falando coisas que não consegui entender metade, a não ser: 'Essa é sua chance. Você vai desencalhar, amiga!'
Isso foi tenso. Será que só porque elas sempre andam com um namorado na cola eu devo fazer o mesmo? Não estou dizendo que não quero um namorado, mas é que elas fazem parecer que estou desesperada, né.
Vamos só ver no que isso vai dar, afinal.

Um comentário:

  1. aaah, menina. Eu sei o que é ser cega. Hm, não é legal, podiscrê.

    Gostei também do blog, viu? Obrigada pela visita! Seguindo já *-*

    Beeeijo !

    ResponderExcluir