Ela gostava de cantar, mas não tinha esse direito. Ele sonhava ouvir, mas não podia fazer isso. Ambos tinham necessidades que se aliavam. Ela podia cantar para ele, e ele podia ouvir para ela. Só eles podiam se entender. Só eles podiam realizar os sonhos um do outro. Ninguém conseguiria, nunca, escutar a voz daquela garota que cantava com energia de frente ao menino surdo - embora sua voz não saisse, ela continuava cantando. E o garoto, sentia-se feliz por ver que entendia o que a menina cantava, mesmo não ouvindo-a. As necessidades de ambos se completavam, mas nem por isso eram reais. Ou será que a realidade quem faz é você mesmo? Será que, enfim, aqueles dois experimentavam das mesmas realidades, mesmo que estas não existissem? Será que o nome para isso seria amor? 
Amor.
Amor...?
A palavra continua não fazendo sentido, por mais que a repita. Deve ser por isso que os dois nunca tentara, entender o que sentiam, enquanto um realizava o sonho do outro. Sonhos tão tolos - diziam alguns - mas especiais, para os dois. Eles tinham perdido o direito de ouvir ou cantar, mas sentiam esses direitos voltarem quando estavam um ao lado do outro. Será mesmo que era amor? Tinha que ser... ou talvez não fosse. Talvez os instintos humanos fizessem eles estarem sempre ao lado do outro, só para terem seus sonhos temporariamente realizados. Mas, o amor não é mesmo uma troca egoísta de sonhos entre pessoas? Amor egoísta, não há nada de ruim nisso. Eles amam seus sonhos, e amam o outro porque ele pode realizar seus desejos. Seria esse uma das especies do amor? Fosse o que fosse, a garota só queria cantar para que o garoto pudesse ouvir. Aquele era a unica pessoa que podia ouvi-la, e ela era a unica pessoa que ele conseguia escutar. Isso já era suficiente para explicar qualquer uma das outras coisas do mundo. Enquanto a voz inexistente da menina ecoava na cabeça do garoto, a garota sentia-se pela primeira vez compreendida. Essa é a história de dois seres que tiveram que amar pra suprir seus sonhos tolos e necessarios... Sonhos tolos, mas necessarios... 

-----------------------------------------------------

Não ficou muito bom, eu sei, mas... Sei lá, somente escrevi o que me veio a cabeça. Não é bom tentarmos controlar nossas mãos quando a criatividade vêm, não é? 
Bom feriado para vocês.

5 comentários:

  1. Não fico ruim não ! *-*
    Eu amei ! muito lindo ..
    quando dia que a menina cantava , eu imaginei uma garota muda movendo a boca *-* kkk
    Bjnhos:*

    http://meumundoloove.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. ja coloquei seu banner la no meu blogg

    ResponderExcluir
  3. Qui nada flor! seu texto tah lindo!
    Eu tbm adoro escrever quando dá vontade e botar tudo pra fora! e vc escreve tão bem!
    Bom feriadão!

    :3

    ResponderExcluir
  4. Ficou bem interessante.
    Tive uma subita inspiração com o texto: o amor é igual ao rio Amazonas, tem muitos afluentes...
    Troncho, não?
    rsrsrs
    Mas, bem, acho que todos nós temos sonhos tolos, mas necessários, muito necessários.
    Beijo, Juh

    ResponderExcluir
  5. Eu gostei muito desse texto! Meu deixou pensativa! E eu imaginei a menina cantando sem voz e o menino sorrindo pra ela!

    Achei o texto muito lindo!

    *Ei vc não vai pegar o seu selinho exclusivo? Tá lá na pagina selos exclusivo! Fiz com muito carinho!

    ResponderExcluir