Dia da Mulher e Liberdade

Hoje é dia da mulher. Pra falar a verdade, nunca fui boa com esses... negócios de homenagem - dias comemorativos - comemorar. Principalmente comemorar. Ou entender o porquê da comemoração. Não entendo o que temos de tão bom atualmente, que nos leve a achar que... temos algo para festejar.
       Certo, você deve estar dizendo: estamos comemorando a liberdade e autonomia da mulher.
        Ok.
        Tanto faz.
        Não vejo muita diferença entre antigamente e atualmente, só mudamos as maneiras com as quais somos controladas. Antigamente, havia o machismo. Atualmente, há o trabalho e a televisão - os programas de controle e lavagem cerebral em massa (as novelas). Não há nada de muito diferente.
        É tudo a mesma porcaria de falta de liberdade.
        Ah, você deve estar dizendo, agora, que somos, sim, livres. Podemos fazer o que queremos. Podemos até bater em nosso marido e dizer que foi por auto-defesa, e ainda saimos como santas. Então, está tudo bom pra todas. Mas não vejo nada de liberdade nisso. Não há nada livre aqui - e você, mulher, não é livre (com certeza não é).
        Livre é você andar de calças folgadas, camiseta velha, e boné de rapper no meio da rua, e ninguém te olhar como se você fosse um alien. Liberdade é você dizer "nunca beijei na boca", e ninguém começar a rir de você por isso. Ser livre é você poder ler um livro num lugar publico, sem que as pessoas formulem que você é uma nerd tapada. Ser livre é ter pensamento próprio, livre de influencias baratas como a tv. Ser livre é ter coragem de usar sua liberdade!
        Ser livre é ser você mesma. Ser livre é não ser julgada pela sua aparência, seja ela boa ou ruim. Não deveriam haver julgamentos. Nem que este fosse bom para seu lado.
        O que vejo aqui - não é liberdade. É algo muito próximo a ditadura-democrática. Muito próximo, senão pior.
        Podem me chamar de extremista ou do que quiserem, mas eu acho, sinceramente, que a lei não deveria diferenciar sexo, nem estado fisico. Esse negócio de vaga especial para deficientes, por exemplo; ok, eles merecem, mas isso não é igualar o povo. E a lei de Maria da Penha; homens que batem em mulheres são presos, mas mulheres que batem em homens - acontece o que com elas?
        Esse modo de diferenciar as pessoas, que a lei brasileira possui, é só uma maneira de incapacitá-las de serem idependentes totais. Deficientes fisicos, visuais, nada mais querem do que serem iguais a nós - e são! Tudo que eles precisam é de um lugar onde possam andar normalmente, sem o risco de cair em buracos ou não conseguir subir em uma escada, e não de salário governamental. Eles não querem dinheiro, mas condições de ganhá-lo! Assim que devia ser.
        Assim que não é.
       Prego a igualdade total. Seja entre homens ou mulheres, sãos(de saúde) ou deficientes. Qualquer um que seja - tem direito de viver, de enfrentar a vida com igualdade.
        Liberdade é isso.
        Quando isso acontecer - pode ter certeza que vou homenagear, mesmo que não haja um feriado para isso. Não preciso de feriados para ver as coisas boas.

Um comentário:

  1. Feliz dia da mulher , atrasado =x/ acho q sim, quero ser escritora tbm ,amo animes (eita) kkk, eba encotrei meu Clone \o/ yoo! -*

    ResponderExcluir