Uma pessoa senta-se no banco da praça. Está cansada. Cansada de andar em circulos, lutar em vão. Cansada de respirar o mesmo ar que todos os outros; cansada de ser igual. Ela suspira. O mundo gira. As pessoas passam. Ela permanece ali. Ninguém a olha - ela é apenas mais uma. Ela não faz diferença. Não para as outras.
        Nem para o mundo.
        E todo aquele papo de que somos importantes, precisamos um do outro? Onde foi parar? Cadê toda aquela história de: ajude para ser ajudado, respeite para ser respeitado, dê para ter algo dado? Cadê? Sabe qual é a verdade? Os grandes milionários não dão nada a ninguém, e são ricos. As esmolas que você dá ao mendigo na rua, já foi dada, não irão retornar. Você deu, mas não receberá nada.E então, em que conclusão devo chegar?
        Solidariedade não é igual à ganho.
        Não espere ganhar nada.
        Não espere ser algo.
        Não espere fazer a diferença.
        O que você deu, foi suficiente por hoje; mas e amanhã?
        Você ajudou alguém, mas amanhã a fome voltará.
        Você dará dinheiro a ela amanhã também? Você dará um lar a ela, um trabalho e o amor de uma família? Até onde sua bondade pode ir? Até onde você conseguirá ser solidario para com os outros - até onde você resistirá aos ensinamentos escondidos da sociedade, que lhe obrigam a virar o que todos são?
        Até onde você será você?
        A pessoa sentada no banco se levantou. Olhou ao redor. Alguém se esbarrou nela - um esbarrão duro, grosso, humano - e parou para lhe pedir (xingar e obrigar) que saisse da frente. "saia de meu caminho". Saia do caminho dos outros. Todos tem um. Você também tem que ter.
        Então tenha.
        A pessoa, que antes sentava-se pensativa e cansada no banco, começou a caminhar. Caminhar sem caminho. A rota era o nada. O nada era seu mundo. Um mundo sem ninguém - um mundo utópico.
        Mas a vida não é feita de utopias.
        A vida não possui soluções.
        Soluções não existem.
        Problemas não existem.
        Imperfeições não existem.
        Somos perfeitos. Somos imperfeitos. Somos os problemas. Somos as soluções. Somos humanos.
        Somos ninguém.


-----------------------------------------------------


Konbawa, minna-san.
       Sei, faz tempo que nem faço comentário nenhum aqui, e que devo estar devendo comentários e minha presença nos blogs de alguns, mas prometo me restabelecer mais.  XD '
       Passei aqui mais para falar de uma (raridade) novidade: estou montando um blog com um grande amigo meu.  ^^'  Será inaugurado em junho - espero ver vocês lá também. '-'
       Da proxima vez, falo mais alguma coisa sobre o blog, e abro espaço para vocês nos (à mim e à meu amigo) darem ideias.
n.n
    Itekimasu.
    Ja nee!

2 comentários:

  1. Adorei o texto,gostei da parte .. ah gostei de tudo ;)Ficou ótimo Xd

    Ah,assim que fizer o blog nós avise.
    Kissus e Sayonaraa ♥

    ResponderExcluir
  2. adoro seus textos
    são super
    até
    kisu

    ResponderExcluir