***


Cansei de poesias cheias de palavras bonitas. Cansei dessa beleza fútil e romântica. Irreal. Cansei da irrealidade. Acha que gosto de acordar todos os dias e pensar em meus próprios sonhos, em criá-los em compartimentos especiais e com todo o esmero, durante minha vida toda? Eu queria muito dizer que não; não, não gosto de sonhar, não gosto de criar cenas que farão parte de meu possivel futuro. Se eu dissesse isso, estaria mentindo.
        Mentir, enfim, é uma especialidade de minha especie.
        Embora isso não faça de nós alguém mais forte ou mais fraco, somos apenas nós. Humanos. Somos apenas humanos, animais.
        Gosto do que vejo nos meus sonhos, não deles em si. Sonhos não existem. "Quem acredita sempre alcança"? De onde tiraram isso? São palavras lindas. Adoro-as, enquanto ouço-as sendo cantadas naquele tom grave e inebriante de Renato Russo, mas quem disse que alcançamos nossos sonhos? A beleza fútil dessas palavras me causa um misto de prazer e raiva. E fim. Diga o que quiser: "sonhar é necessário para se tornar algo", "devemos nos esforçar", "somos o que sonhamos". Bah, tudo lorota, parte de poesias românticas e desonestas com nossa ingenuidade.
        Pergunte à uma criança do Haiti o que ela quer ser quando crescer. Provavelmente ela irá lhe responder que quer ser alguém importante, que tenha comida na mesa todos os dias e água gelada num copo, mesmo estando no meio de um deserto de esfomeados e sedentos.
        Sim, ela sonha; aquela criança definitivamente tem sonhos.
        Ela os realiza?
        Então, vai me dizer que ela não se esforçou o suficiente, que ela não fez por merecer? Vai me dizer que ela passa fome porque os pais são incopetentes na arte de realizar sonhos?
        Sonhos são irreais. Podem ser necessários, mas são irreais, não existem. Se você tem a oportunidade de tocá-los e realizá-los durante sua vida humana e tola, pode ter certeza que não foi por seus esforços. Sua força só ajudou o acaso à te dar aquilo que você tem.
        Sim, a vida não é injusta.
        Os ricos são apenas sortudos, os pobres são meros excluidos.
        Excluidos, em tese, não possuem sorte.
        Realizar sonhos grandes, para os excluidos, é dificil.
        O sistema prioriza a distribuição de sorte e acaso para os que possuem dinheiro, os que possuem alguma coisa. Não tente lutar contra isso. Somos capitalistas. Somos monstros viciados em dinheiro, coca-cola e televisão. O que você espera mais?

Nenhum comentário:

Postar um comentário